quarta-feira, 23 de junho de 2010

A reciclagem ou o gosto pela natureza



"http://www.portaldomeioambiente.org.br/comunicacao-ambiental/anuncios-criativos-sobre-o-meio-ambiente.html"

“Essa campanha foi feita para a World Wildlife Fund. À medida que o papel acaba, o verde da América do Sul também vai embora, simbolizando o impacto ambiental que o uso de simples toalhas de papel é capaz de provocar, além de alertar para outros desperdícios que podem levar às mesmas consequências”

Os resíduos sólidos urbanos, denominados lixo urbano, são o resultado da actividade doméstica e comercial da população. A sua recolha pode ser indiferenciada, quando não há triagem, ou selectiva quando existe triagem de diversos materiais. As Câmaras Municipais ou as Empresas Multimunicipais debatem-se com este problema, eles gerem os ecopontos, os ecocentros, as estações de transferência e as instalações de valorização/eliminação de resíduos (aterro sanitário, incineradora, central de compostagem, central de triagem).
A compostagem é um processo biológico onde é promovida a decomposição dos resíduos orgânicos.O resultado final é um composto semelhante ao húmus.
Vantagens deste processo: transforma os materiais biodegradáveis, reduz a quantidade de resíduos, retem nutrientes (azoto, fosfato e potássio) e origina um material rico adaptado às necessidades das plantas. Funciona como um adubo natural para o jardim e o pomar.
É possível fazer a compostagem doméstica, para tal deverá haver um jardim e escolher-se uma zona apropriada para colocar o compostor. Existem vários tipos de compostor à venda, no entanto cada pessoa poderá fazer o seu, partindo de uma caixa de cartão, madeira ou plástico, furada em baixo.
Materiais a compostar: vegetais e cascas de frutos, arroz, massas, folhas verdes, cereais, cascas de ovos esmagadas, pão, palha, folhas secas e ramos.
Materiais a não compostar: resíduos de jardim tratados com pesticidas, têxteis, pilhas, vidro, metal, plástico e medicamentos.
Embalagens e medicamentos fora de uso devem ser colocados num saco e entregues numa Farmácia. Posteriormente serão recolhidos e transportados para incineração. A Empresa responsável por esta acção é a Valormed.
O aterro sanitário é uma espécie de depósito onde são depositados resíduos sólidos de várias proveniências. É um lixo na sua maioria composto por materiais não recicláveis. No entanto pode encontrar-se ali plásticos, vidros, metais e papéis, resultantes de uma colecta selectiva que não funciona em pleno.
Com o tempo, assiste-se a um aumento populacional, à alteração nos hábitos de consumo e à crescente industrialização, com um consequente aumento do lixo.
Os aterros sanitários são como uma infra-estrutura concebida de forma adequada, construída e explorada, na realidade não passam de grandes lixeiras controladas onde é colocado e armazenado todo o tipo de RSU’s (Resíduos sólidos urbanos). Alguns aterros podem apresentar equipamentos de recolha selectiva para os separar e reciclar, nomeadamente os ecocentros e unidades de triagem.
Uma vantagem do aterro sanitário é que depois do esgotamento de vida útil, a paisagem pode ser recuperada. Como desvantagem apresenta o facto de necessitar de um espaço de grandes dimensões, para além de um controlo contínuo da saída de gases.
A digestão anaeróbia é um método de tratamento de resíduos orgânicos, pouco utilizado em Portugal. Consiste num processo de degradação ou decomposição dos resíduos ou conversão microbiológica, com ausência de oxigénio, apenas por acção de microrganismos anaérobios. Este processo ocorre naturalmente em terrenos pantanosos e no estômago de certos animais ruminantes. Esta acção engloba quatro etapas: Hidrólise, Acidogénese, Acetogénese e Metanogénese. Como resultado final, uma parte desta matéria biodegradável é transformada em metano e dióxido de carbono, principais gases componentes do biogás, outra em lamas digeríveis e outra, ainda em efluente líquido.
Uma das vantagens da digestão anaeróbia, é a formação de biogás. Como desvantagem, apresenta o facto de neste processo ocorrer o aparecimento de gás sulfídrico (embora em ínfimas quantidades), que é um gás tóxico e corrosivo.
Creio que todas estas formas de tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos têm as suas vantagens e desvantagens.
Cabe às entidades locais apreciarem em função de diversos elementos existentes no local (a morfologia, a situação geográfica e os factores climáticos), custos financeiros e outros, analizar o melhor método a implantar.
A par da alimentação, também a descoberta da natureza surgiu em mim, assim como uma grande vontade de ajudar o nosso Planeta. Desde há muitos anos que pratico a reciclagem de papel, plásticos e vidro. Tenho em minha casa um ecoponto onde guardo todos os materiais e periodicamente vou colocar no grande ecoponto que existe na minha rua. As minhas filhas partilham este gosto pela natureza e cada uma delas também têm um ecoponto caseiro. Mais tarde comecei a fazer a reciclagem de pilhas usadas, antes de existirem contentores especiais aqui no Concelho, levava-as comigo para Lisboa, onde se iniciou este processo.
Há artistas que utilizam tintas e materiais recicláveis para produzir obras de arte. Joana Vasconcelos é uma artista plástica contemporânea que utiliza essas técnicas, ela utiliza materiais reciclados para compôr as suas peças de arte. Já fez exposições em muitos países e arrecadou 2 prémios. Em 2009 uma das suas peças “Coração Independente Dourado”, (peça executada com sete mil talheres de plástico), foi leiloada em Londres por 192 mil euros. Muitos dos seus trabalhos pertencem a colecções privadas.
Recentemente a Caixa Geral de Depósitos lançou um concurso de Design de Mobiliário, “Transformar o Velho em Novo”. Conta com o apoio da Faculdade de Belas Artes e da Escola Superior de Design.
“A Caixa Geral de Depósitos está a lançar a 2ª edição do concurso de Design de Mobiliário com Materiais Reciclados 2009, sob o tema “Transformar o Velho em Novo”.
Um anúncio publicitário nos meios de comunicação social, tem muita influência no público em geral. Há firmas publicitárias que estudam a opinião pública e avaliam a melhor hora, forma e conteúdo desse mesmo anúncio.

Profissões ligadas à recolha e tratamento dos lixos:
Director de Departamento
Director Municipal
Engenheiro do Ambiente é a pessoa responsável pela gestão e ordenamento ambiental.
Chefe de divisão
Técnico profissional de ambiente
Serviços Administrativos: pessoal administrativo
Operador de triagem
Cantoneiros de limpeza
Operador de veículos especiais
Encarregado de lavagem e manutenção de ecopontos
Motorista da viatura que recolhe cartão junto dos Centros Comerciais e Empresas
Operador no Ecocentro
Recepcionista de resíduos e equipamentos eléctricos e electrónicos nos Centros de Recepção
Operários: pintores, electricistas, serralheiros e operacionais de manutenção
Encarregado de serviços de limpeza e higiene
Chefe e Fiel de armazém
Fiscal de serviços de higiene e limpeza
Fiscal municipal
Vereador do Ambiente (Cargo Político).
Actualmente também existe a reciclagem de óleos usados para o biodiesel.
Neste momento assiste-se à degradação, poluição e destruição dos recursos naturais. Esta destruição está mais acelerada do que a capacidade da natureza em repôr os elementos básicos ao equilibrio do ambiente.
A redução de custos e a consciência ambiental. Hoje em dia surgem soluções inovadoras baseadas em energias renováveis e energicamente eficientes. Tanbém a certificação energética de edifícios passou a ser obrigatória.
Este é um assunto que deveras me preocupa e afecta toda a humanidade e o planeta onde vivemos.
A utilização de combustíveis fósseis (carvão, petróleo e gaz natural), tem efeito nocivo para o ambiente e contribui para o aquecimento global. As energias alternativas surgiram para reduzir o impacto ambiental, representam fontes de energia renovável trazem muitas vantagens e estão disponíveis em todo o mundo, são elas: energia eólica (ou energia do vento), que é cada vez mais utilizada, através da colocação de geradores eólicos, energia das ondas, que é um abundante recurso renovável, energia geotérmica, ou a energia térmica existente nas entranhas da terra. É urgente que se tomem medidas de uma forma global, porque a poluição está a atingir níveis muito elevados, além disso as novas energias solares, são inesgotáves. Seja para os transportes, ou para as grandes indústrias, é urgente que todos incentivem e percebam a urgência de mudar!
As centrais termoeléctricas são instalações industriais preparadas para a geração e produção de energia eléctrica, a partir de uma outra energia. As centrais hidroeléctricas ou barragens, são constituídas por um conjunto de obras e equipamentos que têm a finalidade de produzir energia através do aproveitamento do potencial hidráulico existente num rio. Também aqui devem usar uma outra energia renovável, ou gás natural, como matéria prima, que é menos poluente do que os combustíveis derivados do petróleo ou do carvão.
As centrais termoeléctricas também causam impacto ambiental, porque contribuem para o aquecimento global através do efeito estufa e chuva ácida.
O uso do GPL não foi muito incentivado e apoiado no nosso país. Recentemente aparecem os carros eléctricos, bem mais económicos, não poluentes, mas sem autonomia para grandes distâncias, sobretudo para uma viagem longe dos grandes centros populacionais, é importante para reduzir as emissões de co2. O biodiesel é uma aposta favorável para substituir o gasóleo, porque é facilmente obtido a partir de óleos usados ou gordura animal e pode ser usado em veículos com motores a diesel.
A ONU, a NASA, a CETESB, a HELP-Comets são organisnos internacionais que participam na medição dos níveis de dióxido de carbono. Em Portugal existem estudos feitos pela FCTUC (Faculdade de Ciências e Tecnologia), e pelo Instituto de Meteorologia, que é responsável não só pela meteorologia, mas também pela qualidade do ar e pela sismologia.
O carbono circula através dos oceanos, da atmosfera, da terra e no seu interior, num grande ciclo biogeoquímico, que pode ser dividido em ciclo lento ou geológico, ciclo rápido ou biológico. É o elemento quimico fundamental dos compostos orgânicos e está presente na atmosfera.
Através do processo da fotossíntese, as plantas absorvem a energia solar e CO2 da atmosfera, e produzem oxigénio e hidratos de carbono, que servem de base para o crescimento das plantas. Os animais e as plantas utilizam os hidratos de carbono pelo processo de respiração, utilizando a energia contida nos hidratos de carbono e emitindo CO2. Juntamente com a decomposição orgânica (forma de respiração das bactérias e fungos), a respiração devolve o carbono, biologicamente fixado nos stocks terrestres (nos tecidos da biota, na camada de solo e na turfa), para a atmosfera.
Através do processo da fotossíntese, as plantas absorvem a energia solar e CO2 da atmosfera, e produzem oxigénio e hidratos de carbono, que servem de base para o crescimento das plantas. Os animais e as plantas utilizam os hidratos de carbono pelo processo de respiração, utilizando a energia contida nos hidratos de carbono e emitindo CO2. Juntamente com a decomposição orgânica (forma de respiração das bactérias e fungos), a respiração devolve o carbono, biologicamente fixado nos stocks terrestres (nos tecidos da biota, na camada de solo e na turfa), para a atmosfera.
As equações químicas que regem estes dois processos são:
Fotossíntese: 6CO2 + 6H2O + energía (luz solar) → C6H12O6 + 6O2
Respiração: C6H12O6 (matéria orgânica) + 6O2 → 6CO2 + 6 H2O + energia
“No planeta Terra o carbono circula através dos oceanos da atmosfera, da terra e do seu interior, num grande ciclo biogeoquímico. Este ciclo pode serdividido em dois tipos: o ciclo "lento" ou geológico, e o ciclo "rápido" ou biológico.
Actualmente com o aumento da poluição as associações de defesa do ambiente, emitem pareceres e convocam manifestações, com o intuito de chamar a atenção de todos para esta questão. Os cientistas e os dirigentes mundiais discutem a melhor forma de ultrapassar este problema
A emissão de dióxido de carbono provoca o aquecimento global, por sua vez vai dar lugar ao efeito de estufa artificial à volta da terra. O nível do mar aumenta, em consequência do aumento da temperatura.
A continuar assim, o planeta vai deixar de ser azul e passar a laranja, ou pior ainda, a vermelho.
Na Noruega estão a funcionar moinhos de energia eólica flutuantes, eles conseguem assim aproveitar quilómetros de costa e colher ganhos em energia. Em Portugal seria uma boa medida a adoptar, com toda a extensão de mar que nos cerca.
Um ambiente limpo é essencial para a saúde e bem-estar. As alterações climáticas, a destruição da camada de ozono estratosférico, a perda de biodiversidade e a degradação dos solos também podem afectar a saúde humana. A degradação dos solos afecta a qualidade da água.
Os 3 r's:Reduzir, reutilizar e reciclar:
Devemos:
Reduzir a quantidade de lixo residual. Os produtos com maior longevidade, durabilidade e resistência ajudam na redução de resíduos.
Reutilizar muitos dos objectos que utilizamos no nosso dia-a-dia.
Reciclar ou transformar o resíduo inútil em matéria-prima renovada.

Redução:
Mudar os nossos hábitos, usar sacos de pano ou de ráfia para as compras. Usar guardanapos de pano e embalágens reutilizáveis em vez de descartáveis.

Reutilização
Utilizar várias vezes a mesma embalagem seja de vidro ou plástico.

Reciclagem
Existem eco-pontos espalhados por todo o país e por quase todo o mundo civilizado. No contentor amarelo depositam-se as embalagens de plástico e metal. No contentor verde colocam-se os vidros. O contentor azul serve para receber papel e cartão. Há contentores especiais para as pilhas usadas.
Ao praticarmos a reciclagem estamos a poupar o abate de árvores e economizamos água e energia. A título de curiosidade cada 50 Kg de papel reciclado poupa o corte de uma árvore.
Pratico activamente reciclagem há mais de 20 anos e divulgo e incito as pessoas que me rodeiam a adoptarem este hábito.


Helena

Sem comentários: